Introdução ao BeagleBone Black

Introdução ao BeagleBone Black

BeagleBone Black é o nome da mais recente placa de desenvolvimento disponível aqui na FILIPEFLOP. Funciona com processador AM3358BZCZ100 da Texas Instruments. Tem 512 Mb de memória, 4 Gb de armazenamento e acelerador gráfico 3d.

BeagleBone Black

Assim como o Raspberry, o BeagleBone Black também se propõe a ser um computador de baixo custo, onde você pode rodar versões do Linux, como o Debian e o Ubuntu, e também o Android e outros sistemas operacionais.

Para começar a mexer com o BeagleBone você precisa apenas de um cabo com conector mini USB (incluso). É por meio desse cabo que será feita a alimentação do BeagleBone e também a comunicação com o computador. Veja na imagem abaixo a disposição dos conectores do BeagleBone e os principais componentes da placa:

BeagleBone Black - Componentes

Os Headers na lateral da placa são as portas de entrada e saída (GPIO, 65 no total), que podem ser utilizadas para monitorar e controlar sensores, botões, módulos e outros dispositivos, de forma semelhante ao Raspberry e Arduino. A alimentação externa do BeagleBone é feita por uma fonte de no máximo 5v. Certifique-se de que ela possa fornecer pelo menos 1 A de corrente.

Com o slot microSD você pode carregar uma imagem de um dos sistemas operacionais disponíveis, e transferi-lo para a memória do BeagleBone. Desta forma você pode utilizar o BeagleBone como um computador , ligando a placa à um monitor utilizando o conector microHDMI (resolução máxima de 1280 x 1024 pixels). Você também pode ligar um teclado e um mouse USB ao Beaglebone, mas vai precisar de um hub USB, já que há apenas uma porta disponível.

Apesar de funcionar como um computador, podemos utilizar o software incluso na memória do BeagleBone, acessível via browser, e dar os primeiros passos para entender como a placa funciona.

Conectando o BeagleBone ao computador

Antes de ligar o cabo USB e conectar o BeagleBone Black ao computador, recomendamos baixar o driver da placa para evitar que você tenha que refazer todo o processo caso ocorra algum erro. Acesse os links abaixo para baixar o driver do BeagleBone de acordo com o seu sistema operacional:

Driver para Windows – 32 bits

Driver para Windows – 64 bits

Driver para Mac OS X

Driver e informações para Linux

Vamos ver como é o processo de instalação dos drivers em uma máquina com Windows 64 bits. Execute o instalador e será exibida a tela inicial. Simplesmente clique em NEXT:

Drivers - Tela inicial

Confirme a instalação do dispositivo Linux Developer Community Ports e clique em “Sempre confiar em softwares da “BeagleBoard.org Foundation”:

Linux Developer Community Ports

Clique em Install e aguarde o final do processo de instalação dos drivers:

BeagleBone - Drivers instalados

Após a instalação dos drivers, conecte o cabo USB ao BeagleBone e o dispositivo será reconhecido pelo Windows :

BeagleBone - Dispositivos Windows

Também será reconhecido um dispositivo de armazenamento, e você pode acessar os arquivos do BeagleBone como se fosse um pendrive, em um dispositivo com capacidade de 100 Mb, onde você encontra drivers, documentação, scripts e outros arquivos relativos à placa:

BeagleBone - Arquivos

Acessando o BeagleBone

Para acessar o Beaglebone Black, vamos utilizar o IP 192.168.7.2. Não se preocupe se a sua rede tem outra faixa de endereços IP ou se você não ligou um cabo de rede ao seu Beaglebone. Por meio dos drivers que foram instalados, foi criada uma ethernet virtual e é por meio dela que você irá acessar o Beaglebone pelo browser, como se ele estivesse na sua rede física.

Se você quiser se certificar de que esse IP realmente está funcionando, abra um prompt de comando e utilize o comando PING para localizar o IP 192.168.7.2:

BeagleBone - Ping

Após esse pequeno teste de comunicação, abra o Chrome ou Firefox (no Internet Explorer não funciona), e digite na barra de endereços http://192.168.7.2. Será exibida a seguinte tela, indicando que o BeagleBone foi corretamente instalado:

BeagleBone - Browser

No menu lateral você tem informações sobre como realizar a gravação de uma imagem do sistema operacional no cartão microSD, as várias possibilidades de utilização dos conectores de entrada e saída do BeagleBone, documentação sobre os principais comandos e como você pode utilizar o BoneScript para controlar o BeagleBone.

BoneScript é uma biblioteca baseada em Javascript e otimizada para o Beaglebone, que permite que você controle a placa à partir do browser, com uma estrutura de programação parecida com a do Arduino, com funções como pinMode(), digitalWrite() e analogRead(), entre outras.

No próximo artigo sobre o BeagleBone vamos ver como utilizar essas funções à partir do browser e montar alguns circuitos de exemplo, utilizando as portas de entrada e saída.

Gostou? Ajude-nos a melhorar o blog atribuindo uma nota a este tutorial (estrelas no final do artigo), comente e visite nossa loja FILIPEFLOP !

7
Introdução ao BeagleBone Black
72 votos, 4.96 classificação média (99% pontuação)

Formado em Ciência da Computação pela Universidade de Mogi das Cruzes, atualmente responsável pelo departamento técnico da FILIPEFLOP.

Compartilhe este Post

8 Comentários

  1. Willians Dutra - 19 de agosto de 2015

    Boa tarde,

    Tenho lido sobre o beaglebone e aí vem a dúvida:

    Perante o Rasp. o beaglebone vale a pena?

  2. Circuitos básicos com BeagleBone Black | Blog FILIPEFLOP - 15 de dezembro de 2014

    […] artigo anterior, Introdução ao BeagleBone Black, falamos sobre a instalação da placa no Windows e como acessá-la via browser. Vamos continuar […]

  3. Breno - 11 de dezembro de 2014

    Bom dia equipe FilipeFlop

    Como faço para para o beaglebone reconhecer um módulo HX711 em que é interfaceado com um sensor de peso de 5kg?

    O objetivo é criar uma balança industrial usando este embarcado.

  4. Daniel - 25 de novembro de 2014

    Consegue fazer o acionamento de relé, ACS712, DHT21 com ele?

Deixe uma resposta