Acessando a BeagleBone Black via SSH

Acessando a BeagleBone Black via SSH

A BeagleBone Black trata-se de uma das SBC (Single-Board Computer) mais populares, estando em pé de igualdade com as Raspberry Pi (em termos de utilização e fãs ao redor do mundo). Trata-se de uma placa já preparada para rodar Linux (distribuições principais: Debian, Angstron e Ubuntu) e, inclusive, suporta Android. Tem como grande diferencial das Raspberry Pi a presença de memória eMMC. Ou seja, o sistema de arquivos está salvo em um chip na própria placa, o que confere menor tempo de boot e não necessidade de um cartão SD para operação.

FF_Blog_02

Como possui suporte nativo à rede (Ethernet), a BeagleBone Black está também inserida no mundo IoT. Sendo assim, programar / desenvolver na BeagleBone Black, no seu Linux nativo via SSH, trata-se de uma interessantíssima característica. E este post é justamente sobre isso: como acessar a sua BeagleBone Black via SSH, de qualquer computador da sua rede, permitindo assim o desenvolvimento em Linux.

Material necessário

Para reproduzir os passos deste post, você precisará do seguinte material:

Além disso, seu roteador de Internet precisará ter uma conexão de rede disponível.

Primeiros passos

Antes de entrar no passo a passo sobre como configurar o acesso da BeagleBone Black via SSH, recomendo que você siga as instruções do nosso artigo de Introdução ao BeagleBone Black. Seguindo estas instruções, você conseguirá deixar sua BeagleBone Black visível no seu computador (e, por consequência, permitir sua configuração).

Feito isso, uma porta serial virtual (COM Virtual) deverá ser criada. Esta permitirá acesso, via terminal, ao Linux já gravado na placa. Se estiver utilizando Windows, você pode verificar qual foi a COM Virtual criada utilizando o Gerenciador de Dispositivos.

Neste momento, sua BeagleBone Black tem acesso à sua rede através de seu computador (via USB), tendo inclusive um IP. Para comprovar que sua BeagleBone Black está rodando conforme planejado, abra seu navegador (Google Chrome ou Mozilla Firefox somente, não utilizar o Internet Explorer neste caso) e acesse o seguinte endereço:

http://192.168.7.2

Uma página será aberta, sendo assim, a BeagleBone Black está acessível via rede. Observe a figura abaixo:

Tela principal BBB

Acesso ao Linux da BeagleBone Black

Agora é hora de conectarmos a BeagleBone à sua rede. Para isto, plugue um cabo de rede na entrada RJ45 da placa (mantendo o cabo USB conectado).

Em posse da identificação da COM Virtual, criada para comunicação com sua BeagleBone Black, vamos acessar (via terminal) o Linux já gravado na própria BeagleBone Black. Para isso, se você estiver utilizando Windows como sistema operacional de seu computador, recomendo a utilização do terminal PuTTy. Trata-se de um terminal completo, leve e de fácil utilização. Para baixá-lo, clique aqui.

Uma vez baixado, ao executá-lo, a seguinte tela irá surgir:

PuttyScreenshotSerial

Selecione a opção “Serial” e nos campos Serial Line e Speed informe o nome de sua COM Virtual (por exemplo: COM6) e 115200. Feito isso, clicar no botão “Open”. Será aberto um terminal serial solicitando o login. O acesso deve ser feito considerando o seguinte usuário e senha:

Usuário: root
Senha:     (deixar senha em branco / só aperte Enter quando perguntado)

Configuração da conectividade de rede

Uma vez logado como root, é hora de descobrir em qual IP sua placa se conectou na rede e qual a máscara de rede. Pelo fato de o default de conectividade da placa ser DHCP, esta pode ter se conectado em qualquer IP livre. Para verificar em qual o IP da BeagleBone Black, digite o seguinte comando:

ifconfig

Serão exibidos dados de todas as interfaces presentes. A que nos interessa, no momento, é a interface eth0. O resultado do comando será uma tela com dados similares aos da figura abaixo:

BeagleBone Black via SSH

Em destaque, em vermelho, estão em destaque os dados da interface eth0 e o IP que pertence à BeagleBone Black. Anote estas informações, estas serão importantes  mais tarde.

Agora, é necessário descobrir qual é o endereço de gateway a ser utilizado. Este endereço será utilizado para acesso a tudo que for externo à sua rede, ou seja, tudo que diz respeito à Internet (sim, se o gateway for configurado de forma errônea, a BeagleBone Black não será capaz de acessar qualquer coisa fora de sua rede local). Para isso, deixe minimizado o terminal de comunicação com a sua placa e, no prompt de comando do seu computador, digite o seguinte comando:

ipconfig

O resultado desse comando será uma porção de informações da conectividade do seu computador. Busque pelo endereço de gateway padrão e anote-o. Este será necessário na configuração da BeagleBone Black.

Acessando a BeagleBone Black via SSH

De volta ao terminal de comunicação, é hora de configurar o acesso da Beaglebone Black via SSH. Para isso, siga os passos:

1 – Digite o seguinte comando:nano /etc/network/interfaces

2 – O editor de texto Nano irá abrir o arquivo interfaces localizado em “/etc/network”. Nele, altere o trecho que começa com  # The primary network interface com o seguinte conteúdo:

# The primary network interface
auto eth0
iface eth0 inet static
address <ENDERECO_IP_ANOTADO>
netmask <MASCARA_DE_IP_ANOTADA>
gateway <ENDERECO_DE_GATEWAY_ANOTADO>

Isto fará com que sua placa se conecte à sua rede sempre com o mesmo IP (com IP estático). Desta forma, assim que você ligar a placa com o cabo de rede conectado, poderá acessar o Linux da BeagleBone Black via SSH sempre pelo mesmo o IP.

3 – Pressione Ctrl + X, letra Y e depois a tecla Enter. Desta forma, o arquivo será salvo com as alterações realizadas e o editor de texto nano será finalizado. Feito isso, digite o seguinte comando:reboot e finalize / feche o terminal.

4 – Aguarde vinte segundos e desligue a placa da USB do seu computador. A placa irá ter sua alimentação cortada. Agora, com o cabo de rede conectado na BeagleBone Black, alimente a BeagleBone BLack com sua fonte (fonte de especificação 5V/2A).

5 – Aguarde mais vinte segundos e abra o PuTTy. Selecione a opção SSH e coloque o endereço de IP anotado no campo “Host name (IP Address)” e 22 no campo “Port”. Clique em Open.

6 – Irá surgir uma janela alertando sobre os acessos via SSH. Nela, clique em Ok. Feito isso, irá surgir uma tela de terminal com o texto “login as: “. Aqui, digite root.

7 – Pronto! Você está acessando o Linux da sua BeagleBone Black via SSH!

Dicas adicionais

Abaixo seguem algumas dicas sobre a BeagleBone Black:

  • É altamente recomendável atualizar os pacotes instalados. Para isso, digite o comando: sudo apt-get update
  • Sempre que possível (para tarefas mais simples principalmente), utilize sua BeagleBone Black como um sistema Headless (seja via SSH ou via terminal com a COM Vitual). Desta forma, você evitará aquecimento excessivo da placa, sobretudo em operações que demandam muito processamento (compilações de codecs, por exemplo).
  • Se desejar utilizar a BeagleBone Black como um computador (com monitor e periféricos), lembre-se que há somente uma porta USB host para ligação de mouse e teclado. Portanto, desta forma, você precisará de um HUB USB.

Gostou? Ajude-nos a melhorar o blog atribuindo uma nota a este tutorial (estrelas no final do artigo), comente e visite nossa loja FILIPEFLOP!

4
Acessando a BeagleBone Black via SSH
4 votos, 4.00 classificação média (80% pontuação)

Engenheiro eletricista formado pela Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (FEG - UNESP), trabalha com desenvolvimento de firmware. Colaborador do site FILIPEFLOP.

Compartilhe este Post

2 Comentários

  1. Monte um datalogger com BeagleBone Black | Blog FILIPEFLOP - 23 de maio de 2017

    […] Acessar a BeagleBone Black via SSH. Se não sabe como fazer isto, confira este tutorial. […]

  2. Marcelo - 26 de outubro de 2016

    Parabéns pelo post Pedro! Muito bom o artigo! Sou usuário Arduino e tenho vontade de migrar para o Raspberry Pi ou o BBB. Com artigos como esse a vontade aumenta.
    Gostaria que vocês colocassem mais material sobre o Beagle Bone Black ou Green, inclusive seria um artigo interessante mostrar as diferenças entre os 2 Black e Green.
    Mais uma vez parabéns

Deixe uma resposta